APRENDENDO A PALAVRA DE DEUS.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

A "Almeida Atualizada" Exposta

Como prometeu, Deus não só a inspirou como também PRESERVOU a Bíblia perfeitamente, jota por jota, til por til! (Sl 12:6-7; 19:7-8; 33:1; 100:5; 111:7-8; 117:2; 119:89,152,160; 138:2b; Is 40:8; 59:21; Mt 4:4; 5:18; 24:35; Lc 16:17; 1Pd 1:23,25; Ap 22:18-19). Sendo perfeita, esta preservação tem que ter sido contínua. Sendo para NOSSO proveito, tem que ter sido aqui na terra, em USO, uso INCESSANTE, pelos FIÉIS. O Senhor fez isto através do Texto Massorético do VT e do TEXTO TRADICIONAL (TT) do NT. Este TT representa a esmagadora maioria dos cerca de 5600 manuscritos hoje sobreviventes do NT em grego, que concordam entre si e foram ininterruptamente usados por TODAS as igrejas fiéis, passando por Antioquia, Ásia Grega, pelos Waldenses (desde os anos 120 até próximo à Reforma), etc. Depois da invenção da imprensa, este texto foi publicado por Erasmo e outros, e passou a ser adotado por TODAS as traduções para TODOS os idiomas, por TODAS as igrejas ”protestantes”! As traduções do TT para o português incluem: a “Almeida” 1681; a “Almeida Revista e Corrigida” até a edição 1894 (hoje, já tem certa influência alexandrina) e a “Almeida Corrigida e Revisada, Fiel ...” 1994.
Lamentavelmente, nestes dias de apostasia, crentes (muitos deles sinceros, mas desadvertidos) começaram a adotar o TEXTO CRÍTICO (TC), que representa uns poucos (às vezes só 2 ou 1!) dos manuscritos oriundos da apóstata Alexandria e tão discordantes entre si! As traduções do TC para o português incluem a “Padre Matos Soares” 1930; a “Almeida Revista e Atualizada” 1959 (Novo Testamento recomendada pelos bispos católicos em 1968!); a  “Novo Mundo” (T. Jeová) 1967; a “Almeida Revisada de Acordo com os Melhores Textos ...” 1967; a “Bíblia Viva” (“O Mais Importante é o Amor”) 1981; a “Bíblia na Linguagem de Hoje” 1988; e a NVI 1994. A “Almeida Contemporânea” 1990 é híbrida TT -- TC.
Não precisamos começar por profundos detalhes técnicos: pela comparação das Bíblias-TC com as Bíblias-TT, o próprio Espírito Santo de Deus, o Autor das Santas Escrituras, inequivocamente testemunha ao nosso espírito que o TC é que é a perversão do TT: sempre que entram em choque doutrinário, é SEMPRE o TC que se contradiz ou que tenta diminuir a divindade de Cristo, Seu nascimento virginal, a expiação vicária que fez pelo Seu sangue, a inspiração da Bíblia, e muitas outras doutrinas fundamentais! Quem teria interesse em fazer isto, senão o Diabo? Quem? O TC tem mais de 10.000 omissões, alterações, adições e outras perversões das cercas de 140.000 santas palavras do Novo Testamento!
Citaremos 29 versos da Almeida Fiel, com maiúsculas destacando o que o TC ataca. Consiga uma Almeida Atualizada (nós usamos uma Bíblia de 1983), e cheque seus versos, à luz da Fiel, oh cheque mesmo! Deixe Deus lhe falar ao coração! Lembre-se de Jos 24:15; 1Sam 15:22;  Mat 15:3,6.

Ataques à DIVINDADE DE CRISTO (Choque-se comparando a Atualizada ante a Fiel também em Mc 9:24; 15:39; Lc 23:42; João 1:14,18 + 3:16,18; At 8:37; Rm 14:10b,12; 1 Co 15:47; Ap 1:11. Ademais, o TC e a Atualizada extirpam centenas dos títulos divinos: Senhor, Jesus, Cristo, Jesus Cristo, Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus!):

Mq 5:2 E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas SAÍDAS são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.      O TC e a Atualizada adulteram “saídas” para “origens”. Adulteram Cristo, aqui, de Criador (Deus, sem origem, nunca criado), para mera criatura, com origem e início! "E tu, Belém Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas ORIGENS são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade"
João 3:13 Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, QUE ESTÁ NO CÉU.      O TC e a Atualizada põe "que está no céu" entre colchetes. Quem (sem hipócritas meias palavras!) não percebe que os colchetes dos tradutores do TC realmente significam “incluímos estas palavras só para enganar os tolos que crêem na Bíblia tradicional, mas cremos que são falsificações introduzidas por charlatões”? Assim, o TC e a Atualizada  anulam, aqui, que Cristo é onipresente, é Deus! "Ora, ninguém subiu ao céu, senão aquele que de lá desceu, o saber, o Filho do homem [ que está no céu ]."
At 9:5,6 E ele disse: Quem és, Senhor? E disse O SENHOR: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. DURO É PARA TI RECALCITRAR CONTRA OS AGUILHÕES. (6) E ELE, TREMENDO E ATÔNITO, DISSE: SENHOR, QUE QUERES QUE EU FAÇA? E DISSE-LHE O SENHOR: Levanta-te, e entra na cidade, e lá te será dito o que te convém fazer.      O TC e a Atualizada extirpam, aqui, que Cristo é Senhor, é Deus, devemos-Lhe imediata e total obediência! "Ele perguntou: Quem és tu, Senhor? E a resposta foi: Eu sou Jesus, a quem tu persegues; (6) mas, levanta-te, e entra na cidade, onde te dirão o que te convém fazer."
1 Tm 3:16 E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: DEUS se manifestou em carne, foi justificado no Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, recebido acima na glória      O TC e a Atualizada adulteram “Deus” para “aquele”, anulando, aqui, uma das maiores provas da divindade de Cristo! "Evidentemente, grande é o mistério da piedade: AQUELE que foi manifestado na carne, foi justificado em espírito, contemplado por anjos, pregado entre os gentios, crido no mundo, recebido na glória."
1 João 4:3 E todo o espírito que não confessa que Jesus CRISTO VEIO EM CARNE não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo.     O TC e a Atualizada, aqui, agradam as falsas religiões, pois extirpam que Cristo veio em carne, extirpam que Jesus Cristo, mesmo sempre sendo 100% Deus, encarnou literalmente, teve e sempre terá corpo literal e será 100% homem! "E todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem, e presentemente já está no mundo."
Ataques à PROPICIAÇÃO SÓ PELO S-A-N-G-U-E DE CRISTO:
Cl 1:14 Em quem temos a redenção PELO SEU SANGUE, a saber, a remissão dos pecados;      O TC e a Atualizada extirpam, aqui, que foi pelo derramamento do s-a-n-g-u-e de Cristo que nossos pecados foram expiados, Deus foi propiciado, nossa salvação foi comprada! "No qual temos a redenção, a remissão dos pecados."      Nunca esqueçamos: He 9:22  “E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão.”!
Ataques à MORTE VICÁRIA DE CRISTO (em nosso lugar!):
 1 Co 5:7 Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado POR NÓS.      O TC e a Atualizada extirpam, aqui, que Cristo morreu "por nós", recebendo, em nosso lugar, o castigo que merecemos Is 53:5! "Lançai fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois de fato sem fermento, Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado."
1 Pd 4:1 Ora, pois, já que Cristo padeceu POR NÓS na carne, armai-vos também vós com este pensamento, que aquele que padeceu na carne já cessou do pecado;      Novamente, é extirpado que Cristo morreu "por nós", recebendo em nosso lugar o castigo que merecemos Is 53:5! "Ora, tendo Cristo sofrido na carne, armai-vos também vós do mesmo pensamento; pois aquele que sofreu na carne deixou o pecado,"
Ataques à doutrina da TRINDADE:12
1 João 5:7-8 Porque três são os que testificam NO CÉU: O PAI, A PALAVRA, E O ESPÍRITO SANTO; E ESTES TRÊS SÃO UM.    E TRÊS SÃO OS QUE TESTIFICAM NA TERRA: o Espírito, e a água e o sangue; e estes três concordam num.      Os destrutivos colchetes [*] da Atualizada anulam a mais explícita e uma das mais fortes provas da doutrina da Trindade! Há um excelente livro, de Carson, exclusivamente em defesa destes 2 versos. "Pois há três que dão testemunho [ no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um. (8) E três são os que testificam na terra ]: o Espírito, a água e o sangue, e os três são unânimes num só propósito." Isto não eqüivale à Bíblia dos Testemunhas de Jeová? "Porque são três os que dão testemunho: (8) o espírito, e a água, e o sangue, e os três estão de acordo."
Ataques à inspiração da BÍBLIA:
Lc 4:4 E Jesus lhe respondeu, dizendo: Está escrito que nem só de pão viverá o homem, MAS DE TODA A PALAVRA DE DEUS.      O TC e a Atualizada extirpam, aqui, que viveremos de cada uma de todas as palavras da Bíblia, e que todas e cada uma delas são inspiradas por Deus! "Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem."
DOUTRINA DA SALVAÇÃO:  (Choque-se comparando a Atualizada ante a Fiel também em: Gn 12:2; Mt 9:13; 18:11; João 3:36):
Mt 20:16 Assim os derradeiros serão primeiros, e os primeiros derradeiros; PORQUE MUITOS SÃO CHAMADOS, MAS POUCOS ESCOLHIDOS.      Os destrutivos colchetes * da Atualizada enfraquecem gravemente, aqui, a doutrina da salvação (mais especificamente, do chamamento e da eleição). "Assim. Os últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos [ porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos ]."
Mc 2:17 E Jesus, tendo ouvido isto, disse-lhes: Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores AO ARREPENDIMENTO.      O TC e a Atualizada extirpam, aqui, a indispensabilidade de arrependimento bíblico, para salvação! "Tendo Jesus ouvido isto, respondeu-lhes: Os sãos não precisam de médico, e, sim, os doentes: não vim chamar justos, e, sim, pecadores."
João 3:15 Para que todo aquele que nele crê NÃO PEREÇA, mas tenha a vida eterna.      O TC e a Atualizada extirpam, aqui, que quem não crer perecerá (sofrerá eternamente no lago de fogo, esta é a morte eterna)! "Para que todo o que nele crê tenha a vida eterna."
João 6:47 Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê EM MIM tem a vida eterna      O TC e a Atualizada extirpam "em mim", favorecendo o universalismo, que basta crer em algo ou alguém, seja o que ou quem for, não indispensavelmente em Cristo! "Em verdade, em verdade vos digo: Quem crê, tem a vida eterna."
At 8:37 E DISSE FILIPE: É LÍCITO, SE CRÊS DE TODO O CORAÇÃO. E, RESPONDENDO ELE, DISSE: CREIO QUE JESUS CRISTO É O FILHO DE DEUS.       A Atualizada põe todo verso entre seus destrutivos colchetes *, anulando, aqui, que batismo vem depois da salvação, e esta decorre de crer em Cristo e em tudo que Ele disse de Si, inclusive Sua divindade!
At 9:5-6 E ele disse: Quem és, Senhor? E disse o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. DURO É PARA TI RECALCITRAR CONTRA OS AGUILHÕES.    E ELE, TREMENDO E ATÔNITO, DISSE: SENHOR, QUE QUERES QUE EU FAÇA? E DISSE-LHE O SENHOR: Levanta-te, e entra na cidade, e lá te será dito o que te convém fazer.      O TC e a Atualizada extirpam, aqui, o que pusemos em maiúsculas, anulando que salvação vem da aceitação de Cristo como Senhor (a quem aceitamos como controlador absoluto) e como Deus! "Ele perguntou: Quem és tu, Senhor? E a resposta foi: Eu sou Jesus, a quem tu persegues; (6) mas levanta-te, e entra na cidade, onde te dirão o que te convém fazer." (Vi um amado missionário, que usou a boa King James Bible para preparar parte do seu sermão baseada sobre o texto extirpado, confundir-se todo ao pregar pela má Atualizada! Inconsistência! Inconsistência!)
Rm 8:1 Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, QUE NÃO ANDAM SEGUNDO A CARNE, MAS SEGUNDO O ESPÍRITO.      O TC e a Atualizada extirpam o que pusemos em maiúsculas, anulando, aqui, que há, sim, condenação (não quanto à salvação mas sim quanto à comunhão, correção, galardão, ser usado por Deus) para o salvo que andar segundo a carne: At 5:1-10; 1Co 3:12,15; 5:9-10; Gl 5:16-18; 1Jo 3:20-21; 5:16! "Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus."
Rm 14:10, 12 Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de CRISTO.  (12) De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus”      O TC e a Atualizada, no v. 10, adulteram “Cristo” para “Deus”. Ora, como o juiz de v. 10 é o de v.12, O TC e a Atualizada anulam uma fortíssima prova da divindade de Cristo, e que é a Ele que os crentes darão conta (para fins de galardoamento)! "Tu, porém, por que julgas a teu irmão? E tu, por que desprezas o teu? Pois todos compareceremos perante o tribunal de DEUS. (12) Assim, pois, cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus."
1 Pd 2:2 Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, PARA QUE POR ELE VADES CRESCENDO.      O TC e a Atualizada adulteram o que pusemos em maiúsculas, favorecendo o ensino herético que a salvação vem por um processo gradual de crescimento! "Desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, PARA QUE POR ELE VOS SEJA DADO CRESCIMENTO PARA SALVAÇÃO."
2 Pd 2:17 Estes são fontes sem água, nuvens levadas pela força do vento, para os quais a escuridão das trevas ETERNAMENTE se reserva.      O TC e a Atualizada extirpam, aqui, que a condenação é eterna! (sem cessar de existir e sofrer)! "Esses tais são como fonte sem água, como névoas impelidas por temporal. Para eles está reservada a negridão das trevas."
Ataques à importância do JEJUM BÍBLICO (Choque-se comparando a Atualizada ante a Fiel também em: At 10:30-31; 1 Co 7:5):
Mt 17:21 MAS ESTA CASTA DE DEMÔNIOS NÃO SE EXPULSA SENÃO PELA ORAÇÃO E PELO JEJUM.      A Atualizada põe todo verso entre seus destrutivos colchetes *, anulando a necessidade da arma oração+jejum. Quem teria interesse nisto, senão ...?! (ver Ef 6:2)
Mc 9:29 E disse-lhes: Esta casta não pode sair com coisa alguma, a não ser com oração E JEJUM.      O TC e a Atualizada extirpam, aqui, que piedoso jejuar é indispensável contra certos demônios. Quem teria interesse nisto, senão ...?! (ver Ef 6:2). "Respondeu-lhes: Esta casta não pode sair senão por meio de oração [ e jejum ]."
GRAVÍSSIMAS CONTRADIÇÕES:
Mt 27:34 Deram-lhe a beber VINAGRE misturado com fel; mas ele, provando-o, não quis beber.      O TC e a Atualizada adulteram “vinagre” para vinho, contradizendo frontalmente Sl 69:21! "Deram-lhe a beber VINHO com fel; mas ele, provando-o, não o quis beber"
Mc 1:2-3 Como está escrito NOS PROFETAS: Eis que eu envio o meu anjo ante a tua face, o qual preparará o teu caminho diante de ti.    (3) Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, Endireitai as suas veredas.      O TC e a Atualizada adulteram “nos profetas” para “na profecia de Isaías”, contradizendo frontalmente Ml 3:1 + Is 40:3! "Como está escrito na profecia de ISAÍAS: eis aí envio diante da tua face o meu mensageiro, o qual preparará o teu caminho; (2) voz do que clama no deserto: preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas;"
2Ts 2:8 E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor DESFARÁ pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda;      O TC e a Atualizada adulteram “desfará” para “matará”, contradizendo frontalmente Ap 19:20 (“lançados vivos...”)! "Então será de fato revelado o iníquo, a quem o Senhor Jesus MATARÁ com o sopro de sua boca, e o destruirá, pela manifestação de sua vinda."
Contraste a Atualizada ante a Fiel também em: Mt 5:22 (Jesus irou-se, mas com motivo). Mt 19:17 contra Mc 10:18 + Lc 18:19.
OUTROS ERROS:
Mt 1:25 E não a conheceu até que deu à luz seu filho, O PRIMOGÊNITO; e pôs-lhe por nome Jesus.      O TC e a Atualizada agradam o romanismo, extirpando que Jesus foi o primeiro entre os vários filhos de Maria.      "Contudo, não a conheceu, enquanto ela não deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Jesus."
1 Co 6:20 Porque fostes comprados por BOM preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, E NO VOSSO ESPÍRITO, OS QUAIS PERTENCEM A DEUS.      O TC e a Atualizada extirpam, aqui, algumas das revelações de Deus mais preciosas e confortadoras às nossas almas! "Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo."
1 Tm 6:5 Contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; APARTA-TE DOS TAIS.      O TC e a Atualizada extirpam, aqui, que temos ordem de nos SEPARAR de todos que ensinam qualquer coisa que conflite com a Palavra de Deus. Qual texto favorece o Diabo e o erro?! "Altercações sem fim, por homens cuja mente é pervertida, e privados da verdade, supondo que a piedade é fonte de lucro."
Ap 11:17Dizendo: Graças te damos, Senhor Deus Todo-Poderoso, que és, e que eras, E QUE HÁS DE VIR, que tomaste o teu grande poder, e reinaste.      O TC e a Atualizada extirpam, aqui, a segunda vinda de Cristo! "Dizendo: Graças te damos, Senhor Deus, Todo-poderoso, que és e que eras, porque assumiste o teu grande poder e passaste a reinar."
CONCLUSÃO: Ah, irmãos, tremamos ante Ap 22:18-19 + Pv 30:6 (não adicionar/ subtrair), 2Co 2:17 (não corromper), e Rm 1:25 (não transformar a Bíblia em mentira)!
Para obter este folheto e outros materiais, entre em contato com o Pr. Emídio Viana, Cx. Postal 1223, CEP 59075-970, Natal/RN, telefone (084) 218.3030, emidio.viana@digi.com.br. Mas é mais fácil obtê-lo de http://solascriptura-tt.org (site batista de linha fundamentalista, disponibilizando livros e estudos, inclusive a preservação da Bíblia). Se quiser razões técnicas indague ao Pr. Alberto Johnson (Cx. Postal 1, Barbalha/CE, CEP 63180-000). Em breve (pela graça de Deus), será lançado em nosso país o livro, "Qual o Texto Original do Novo Testamento?", de Wilburg Pickering, 250 págs., livro que trata o assunto tecnica exaustiva e profundamente, e já está disponível dentro de http://www.esgm.org/portugues/pmenu.html. Este livro é definitivo, irrespondível.

[*] A página de rosto da Atualizada 1968 diz “Todo conteúdo entre colchêtes é matéria da Tradução de Almeida, que não se encontra no texto grego adotado”. Sem subterfúgios, como pode isto, real e lamentavelmente, não significar “incluímos estas palavras só para enganar os tolos que crêem na Bíblia tradicional, mas cremos que são falsificações introduzidas por charlatões usados pelo Diabo”? (Ora, o Diabo não luta contra si próprio!) A 2ª página de rosto do N.T. exibe recomendação da igreja católica!!! Quem mudou? Não foi Roma que subiu em direção a Deus!!!...


(retorne à PÁGINA ÍNDICE de http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-Traducoes)


domingo, 23 de março de 2014

A águia, rainha dos ares

A águia é uma grande e vigorosa ave de rapina. As águias vivem em casais e fazem seus ninhos nos rochedos escarpados. A águia pertence ao gênero dos Falconídeos, isto é, à família dos falcões. Nas Escrituras, a águia é mencionada pelo próprio Deus, simbolizando a nação que voa com o rosto feroz para castigar o povo de Israel, quando este se afasta de Deus.
A águia é considerada a rainha dos ares, em razão de sua força, destreza e domínio das alturas. Ela é a ave de visão mais apurada e perfeita de que se tem conhecimento. Na Bíblia Sagrada, no Livro de Jó 39:28,29, há algo a respeito da águia e seu alcance de visão. "Nas penhas, mora e habita; no cume das penhas e nos lugares seguros. Dali, descobre a presa; seus olhos a avistam desde longe."
A rainha dos ares voa rápida e majestosamente até grandes alturas.
"Como a águia desperta o seu ninho, se move sobre os seus filhos, estende as suas asas, toma-os e os leva sobre as suas asas, assim, só o Senhor o guiou; e não havia com ele deus estranho". (Deuteronômio 32:11).
A águia demonstra cuidado para com sua prole, não se aproximando subitamente de seu ninho, mas primeiro fazendo barulho ao bater suas asas contra o rochedo. Deste modo, os filhotes ficam alerta e se preparam para recebê-la no ninho e dela receber alimento. A águia é das aves mais afeiçoadas aos seus filhos e das mais cuidadosas para com eles. Ela também os defende dos ataques inimigos. A águia começa suas instruções de vôo aos filhotes voando várias vezes ao redor do ninho para que eles vejam a maneira dela voar. Depois, ela se afasta um pouco do ninho, de modo que eles a vejam voando um pouco mais longe do ninho. Então chega o grande dia, quando a águia toma os filhotes em suas grandes asas estendidas e parte para um vôo de reconhecimento e para o momento crítico, quando solta os filhotes no ar. Caso eles não consigam se manter voando sozinhos, a águia se lança de forma impressionante abaixo deles, e os toma novamente sobre suas asas, impedindo que eles caiam e pereçam.
Assim é Deus para conosco, seus filhos. Nos desperta do sono da indolência e da morte, nos alerta, nos mostra seu poder, nos alimenta, nos fortalece, e nos ensina a voar nas asas de Seu Espírito. Se estivermos a ponto de cair ou perecer, Ele nos sustém e nos livra da morte e do abismo.
Assim também deve ser o verdadeiro cristão e líder cristão. Deverá liderar grandes despertamentos espirituais; deverá propiciar verdadeiros ensinamentos. Deverá apresentar ao rebanho de Cristo um alimento sustentador, assim como saciar a sede de conhecimento e da verdade. O cristão-líder deverá ser capacitado pelo Espírito Santo para que o povo receba de Deus a poderosa destreza espiritual: rapidez para responder aos mandados de Deus; agilidade para se afastar dos perigos, contendas, corrupções mundanas, tentações e pecados.
O cristão espiritual deverá ajudar os mais fracos e não destruí-los. Deverá, sim, como a águia ligeira e feroz, reagir a todos ataques do Diabo contra o rebanho. O cristão de visão deverá dominar com grande destreza a Palavra da Verdade e ser um amigo íntimo do Espírito Santo de Deus, para combater toda sombra de heresia e toda sutil manifestação das trevas e do engano.
"Mas os que esperam no SENHOR renovarão as suas forças e subirão com asas como águias; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fatigarão ". (Isaías 40:31).
Susie Carvalho Oliveira / Tathiane Ferreira

Fonte: Expressão Jovem

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Charles Thomas Studd

Charles Thomas Studd (1860-1931) poderia ter sido mais um atleta que gastou seus dias em árduas competições e apenas isso. Entretanto, sua biografia demonstra que quando Deus toca o coração de alguém, seus rumos e planos são mudados dramaticamente, de uma maneira maravilhosa.
O inglês Charles Studd era considerado um dos maiores desportistas do final do século 19. Milionário, ele herdara da família a importância de 29 mil libras esterlinas, uma fortuna naquela época, mas se recusara a tirar proveito dela, temendo que o dinheiro pudesse atrapalhar seus nobres ideais. Determinado a investir na obra de Deus, enviou cinco mil libras esterlinas para o missionário James Hudson Taylor, que se tomou uma lenda ao ser o primeiro a levar a Palavra ao interior da China; outras cinco mil libras para um pastor, William Booth, fundador do Exército da Salvação; cinco mil para Dwight L. Moody, para que este iniciasse o estabelecimento do Instituto Bíblico Moody.
Studd doou ainda outras importâncias, sobrando-lhe apenas 3.400 libras, as quais ele, no dia do seu casamento, deu à esposa. Esta também doou o presente e comentou, na época: Jesus pediu ao jovem rico que desse tudo aos pobres. E Studd completou: Agora nos achamos na situação de poder dizer que não possuímos nem prata nem ouro, referindo-se ao texto de Atos 3.6. Loucura? Não. Charles Thomas Studd tinha a certeza de que o Senhor era o dono de todas as coisas. Essa demonstração de entrega total foi apenas o começo. Todavia, foi o suficiente para que o Senhor desse a Charles um novo rumo. Mais tarde, Ele o chamaria para o ministério.
Studd viajou para a China, onde trabalhou como missionário. Posteriormente, foi para a Índia e para o continente africano. Seu pensamento era: "Se Jesus é Deus e Ele morreu por mim, então nenhum sacrifício pode ser muito grande para nós". Como resultado de seus esforços, foi fundada, um pouco antes de sua morte, a Cruzada de Evangelização Mundial, que hoje conta com mais de mil missionários em todo o mundo. A mensagem deixada por Studd foi simples: enquanto a maioria investe em bens materiais, outros investem no Reino de Deus.
Família - Essas lições de Charles Studd foram aprendidas desde muito cedo. Ele era filho de um fazendeiro de origem indiana, Edward Studd, que se havia aposentado na Índia e mudado para uma casa rural no município de Tidworth, em Wiltshire, Inglaterra.
O pai de Studd, curiosamente, tinha-se convertido em 1877, quando um amigo o levou para ouvir uma pregação de Moody, o mesmo pastor que seria ajudado por seu filho, Charles Studd, anos mais tarde. Após a conversão, Edward, imediatamente, deixou as atividades seculares e passou a usar sua casa para reuniões evangelísticas até o dia de sua morte, em 1879.
Charles Studd e seus dois irmãos, Kynaston e George, estudavam longe de casa. Curiosamente, os três converteram-se a Cristo em um culto doméstico, e terminaram apaixonados pelo Evangelho. Os três irmãos eram campeões de críquete, um dos esportes mais tradicionais da Inglaterra. As habilidades excepcionais mostradas por Charles Studd naquele esporte fizeram com que ele ganhasse um lugar na seleção inglesa, em 1882, época em que a equipe havia perdido uma partida para a Austrália e estava desacreditada. Sob a liderança de Charles Studd, os ingleses jogaram na Austrália, no ano seguinte, e recuperaram o troféu.
Tempo de confrontação - Dois anos após a conquista do campeonato, no entanto, com a doença e morte de George, Charles Studd sentiu-se confrontado pela seguinte pergunta: De que adiantam toda a fama e valor de lisonja quando um homem tem de enfrentar a eternidade? Ele percebeu, então, que sua conversão, ocorrida seis anos antes, não havia produzido frutos. Resoluto, ele declarou: O críquete não vai durar; a honra também não, bem como nada neste mundo. Mas tenho que viver para o mundo que há de vir.
A partir de então, Charles começou a testemunhar de Jesus aos amigos e jogadores da mesma equipe. Sua intenção era captar recursos para o ministério de seu irmão, Kynaston, que tinha fundado uma organização missionária entre estudantes. Logo, ele teve a alegria de conduzir outros a Deus.
Até aquele momento, Studd testemunhara entre os próprios sócios e amigos. Contudo, depois de ouvir, na China, uma pregação na qual um missionário falara da necessidade de os servos de Deus agirem como pescadores de almas, tudo mudou. Ele sentiu que Deus o estava chamando. Embora seus amigos e parentes tentassem dissuadi-lo, Charles começou a considerar a pregação que ouvira e marcou uma reunião com o Pr. James Hudson Taylor, o diretor da missão no interior da China.
Rumo à China - A decisão de Studd foi seguida por mais seis amigos dele. Ao mesmo tempo em que o grupo se preparava, uma onda de conversões ocorria entre os estudantes das maiores Universidades da Grã-Bretanha, graças à missão fundada por Kynaston, anos antes. Alunos de Edimburgo, Londres, Oxford e Cambridge entregavam-se ao Senhor como jamais ocorrera antes. Eles se transformariam, anos depois, nos missionários que difundiriam a Palavra de Deus pelo mundo. Em pouco menos de dois meses, Studd e alguns amigos já estavam prontos para a viagem à China.
Lá, Charles Studd passou dez anos. Quando, finalmente, retomou à Inglaterra, ele foi convidado a visitar a América, onde Kynaston havia organizado um movimento evangelístico entre os estudantes locais. Durante aquela excursão, ele testemunhou o derramar de bênçãos poderosas em muitas faculdades e igrejas. Aquilo mexeu tanto com Studd, que ele iniciaria uma seqüência de viagens missionárias impressionante.
Missões na Índia e na África - De 1900 a 1906, Studd pastoreou uma igreja em Ootacamund, no Sul da Índia. Naquela região, diversos funcionários britânicos se converteram a Cristo. Depois de um rápido retomo à Inglaterra, ele partiu, em 1910, para o Sudão, na África. Studd ficara impressionado com o fato de a Palavra ser quase totalmente desconhecida na África Central, e lá fundou uma missão, a Heart of Africa Mission (Missão Coração da África).
Em sua primeira viagem ao Congo Belga*, em 1913, ele estabeleceu quatro missões em uma área habitada por oito tribos diferentes. A partir dali, Charles começaria a viajar sozinho — sua esposa ficara doente. Entretanto, o trabalho do Senhor e o chamado da família não mudaram. De sua casa, na Inglaterra, ela e as quatro filhas do casal coordenavam o ministério de Studd. Sua esposa era a responsável por missões em diversos países da África, do Oriente Médio e da China.
Ela fez uma última visita ao Congo em 1928, reviu o marido e faleceu pouco tempo depois. Em 1931, aos 70 anos, Charles Thomas Studd morreu, entretanto, até os seus últimos dias, ele pregou a salvação pela fé em Jesus Cristo, no campo missionário, em Málaga, na África. Foi, de fato, um gigante. Um herói da fé.

* (Até 1971, este país tinha o nome de Congo Belga. Depois, Mobuto Sese Seko o batizou com o nome de Zaire. Em 1997, passou a se chamar República Democrática do congo)

Charles Finney

Charles Finney
Marcelo Dutra
A Bíblia relata uma infinidade de situações usadas por Deus para manifestar Sua vontade e Sua presença. A conversão de um dos maiores pregadores avivalistas de todos os tempos, o americano Charles Grandison Finney (1792 -1875), não chega a ser "estarrecedora" se comparada, por exemplo, ao episódio narrado nas Escrituras, no qual Deus fez falar a mula de Balaão. No entanto, não se pode dizer que seja "natural" alguém entregar-se a Jesus após a leitura exaustiva de livros de Direito, contendo citações bíblicas. Foi exatamente isso que aconteceu com o então advogado Charles Finney.
Daquele momento em diante, tudo em sua vida seria incomum. Conta-se que, após uma de suas pregações em Governeur, no estado de Nova Iorque, não houve baile ou representações teatrais por quase seis anos, tamanha a força das palavras proferidas pelo chamado apóstolo do avivamento. Ao longo de todo seu ministério pela América, calcula-se que cerca de 500 mil pessoas aceitaram ao Senhor.
História - Finney nasceu em Warren, estado de Connecticut, no dia 29 de agosto de 1792. Dois anos depois, sua família foi para a cidade de Hanover, em Nova Iorque. Seus pais não eram convertidos ao Evangelho, e a única imagem religiosa que tinha na adolescência era a de uma igreja conservadora e fria. Em 1821, após ler muitos livros de Direito, cujas leis eram fundamentadas na Bíblia, ele decidiu conhecer as Escrituras. Em uma tarde fria, Finney saiu para dar um passeio nos bosques. Lembrando-se dos exemplos do Livro Sagrado, procurou estar a sós com Deus. Ajoelhado em oração, Finney entregou-se a Jesus após travar uma batalha interior: Achei-me tomado por uma fraqueza e não consegui ficar em pé. Tive vergonha de que alguém me encontrasse ali, de joelhos, e logo em desespero percebi o que me impedia de entregar meu coração ao Senhor: meu orgulho. Fui vencido pela convicção do pecado. E me arrependi. Durante todo seu processo de aprendizado e mais tarde em seu ministério, Finney manteve os princípios que aprendeu nos anos em que esteve na advocacia.
Ele queria entender a profundidade dos problemas da. humanidade, usar sua fantástica oratória para falar de Jesus e estudar a Bíblia com uma visão racional e prática. Por causa disso, Finney teve dificuldades para compreender por que as bênçãos não chegavam ao povo de Deus: Ao ler a Bíblia, ao assistir as reuniões de oração, e ouvir os sermões do pregador,. percebi que não me achava pronto a entrar nos céus. Fiquei impressionado especialmente com o ato das orações dos cristãos, semana após semana, não serem respondidas. Li na Bíblia: Pedi e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Li também, que Deus está mais pronto a dar o Espírito Santo aos que Lho pedirem, do que os pais terrestres a darem boas coisas aos filhos. Mas, ao ler mais a Bíblia, vi que as orações dos cristãos não eram respondidas porque não tinham fé, isto é, não esperavam que Deus lhes desse o que pediram. Entretanto, com isso senti um alívio a cerca da. veracidade do Evangelho, contou ele anos mais tarde em sua autobiografia.
Ministro do Evangelho - Em 1823, Finney se tornou ministro do Evangelho na Igreja Presbiteriana de Saint Lawrence, e iniciou, no ano seguinte, o processo conhecido nos livros de história como "o fogo dos nove anos", entre 1824 e 1832. Naquele período, ele administrou reuniões de reavivamento ao longo das chamadas cidades orientais: Gouverneur, Roma, Utica, Ruivo, Troy, Wilmington, Filadélfia, Boston e Nova Iorque. Durante as reuniões, advogados, médicos e homens de negócios se arrependiam de seus pecados e se entregavam a Jesus com lágrimas. Em Rochester, diz-se que o lugar foi estremecido até as suas fundações, e cerca de 1.200 pessoas converteram-se a Cristo. Boa parte delas tornou-se membro da Igreja Presbiteriana daquela cidade. Finney abriu o caminho para evangelistas de massa como Dwight L. Moody, Billy Sunday entre outros.
Finney ficou viúvo duas vezes e teve três esposas. Casou-se com Lydia Raiz Andrews, com quem teve seis filhos. Ela morreu em 1847. Depois, casou-se com Elizabeth Ford Atkinson, que também faleceu, e, por último, Rebecca Allen Rayl. As três compartilharam do trabalho de reavivamento, acompanhando-o nas viagens e nos ministérios paralelos.

Obra teológica - Em 1832, Finney começou a pastorear uma igreja presbiteriana em Nova Iorque, ao mesmo tempo em que era evangelista em cidades mais distantes. Três anos depois, um comerciante de seda, rico e benfeitor, Arthur Tappan, ofereceu apoio financeiro ao recém fundado Instituto Colegial Oberlin naquela cidade, desde que Finney fosse convidado a montar um departamento teológico. Por influência do abolicionista Theodore Dwight Solda, o pregador aceitou o convite, mas com duas exigências: a de continuar pregando a Palavra de Deus em Nova Iorque e a de que a escola admitisse negros. Assim foi feito.
Mais tarde, o colégio passou a chamar-se Seminário Teológico Oberlin. Naquele estabelecimento, Finney foi professor de teologia sistemática e teologia pastoral. Durante os 40 anos em que atuou como evangelista, escreveu 17 livros, quatro deles impressos ate hoje. O mais significativo deles foi, sem dúvida, Teologia Sistemática,* considerado por muitos a maior obra sobre Teologia escrita após as Escrituras. Vítima de um problema cardíaco, o professor e apóstolo apaixonado por Jesus faleceu em l875.

Charles Haddon Spurgeon

Charles Haddon Spurgeon
Um dos maiores pregadores de todos os tempos
Houve época em que o simples fato de optar pela religião evangélica equivalia a colocar a cabeça a prêmio. No século 15, Carlos V, o imperador espanhol, queimou milhares de evangélicos em praça pública. Seu filho, Filipe II, vangloriava-se de ter eliminado dos países baixos da Europa cerca de 18 mil "hereges protestantes". Para fugir da perseguição implacável, outros milhares de cristãos foram para a Inglaterra. Dentre eles, estava a família de Charles Haddon Spurgeon (1834-1892), o homem que se tornaria um dos maiores pregadores de todo o Reino Unido. Charles obteve tão bom resultado em seu ministério evangelístico que, além de influenciar gerações de pastores e missionários com seus sermões e livros, até hoje é chamado de Príncipe dos pregadores.
O maior dos pecadores - Spurgeon era filho e neto de pastores que haviam fugido da perseguição. No entanto, somente aos 15 anos, ocorreu seu verdadeiro encontro com Jesus. Segundo os livros que contam a história de sua vida, Spurgeon orou, durante seis meses, para que, "se houvesse um Deus", Este pudesse falar-lhe ao coração, uma vez que se sentia o maior dos pecadores. Spurgeon visitou diversas igrejas sem, contudo, tomar uma decisão por Cristo.
Certa noite, porém, uma tempestade de neve impediu que o pastor de uma igreja local pudesse assumir o púlpito. Um dos membros da congregação - um humilde sapateiro - tomou a palavra e pregou de maneira bem simples uma mensagem com base em Isaías 45.22a: Olhai para mim e sereis salvos, vós todos os termos da terra. Desprovido de qualquer experiência, o pregador repetiu o versículo várias vezes antes de direcionar o apelo final. Spurgeon não conteve as lágrimas, tamanho o impacto causado pela Palavra de Deus.
Início de uma nova caminhada - Após a conversão, Spurgeon começou a distribuir folhetos nas ruas e a ensinar a Bíblia na escola dominical para crianças em Newmarkete Cambridge. Embora fosse jovem, Spurgeon tinha rara habilidade no manejo da Palavra e demonstrava possuir algumas características fundamentais para um pregador do Evangelho. Suas pregações eram tão eletrizantes e intensas que, dois anos depois de seu primeiro sermão, Spurgeon, então aos 20 anos, foi convidado a assumir o púlpito da Igreja Batista de Park Street Chapel, em Londres, antes pastoreada pelo teólogo John Gill. O desafio, entretanto, era imenso. Afinal, que chance de sucesso teria um menino criado no campo (Anteriormente, Spurgeon pastoreava uma pequena igreja em Waterbeach, distante da capital inglesa), diante do púlpito de uma igreja enorme que agonizava?
Localizada em uma área metropolitana, Park Street Chapel havia sido uma das maiores igrejas da Inglaterra. No entanto, naquele momento, o edifício, com 1.200 lugares, contava com uma platéia de pouco mais de cem pessoas. A última metade do século 19 foi um período muito difícil para as igrejas inglesas. Londres fora industrializada rapidamente, e as pessoas trabalhavam durante muitas horas. Não havia tempo para as pessoas se dedicarem ao Senhor. No entanto, Spurgeon aceitou sem temor aquele desafio.
Tamanha audiência - O sermão inaugural de Spurgeon, naquela enorme igreja, ocorreu em 18 de dezembro de 1853. Havia ali um grupo de fiéis que nunca cessou de rogar a Deus por um glorioso avivamento. No início, eu pregava somente a um punhado de ouvintes. Contudo, não me esqueço da insistência das suas orações. As vezes, parecia que eles rogavam até verem a presença de Jesus ali para abençoá-los. Assim desceu a bênção, a casa começou a se encher de ouvintes e foram salvas dezenas de almas, lembrou Spurgeon alguns anos depois.
Nos anos que se seguiram, o templo, antes vazio, não suportava a audiência, que chegou a dez mil pessoas, somada a assistência de todos os cultos da semana. O número de pessoas era tão grande que as ruas próximas à igreja se tomaram intransitáveis. Logo, as instalações do templo ficaram inadequadas, e, por isso, foi construído o grande Tabernáculo Metropolitano, com capacidade para 12 mil ouvintes. Mesmo assim, de três em três meses, Spurgeon pedia às pessoas, que tivessem assistido aos cultos naquele período, que se ausentassem a fim de que outros pudessem estar no templo para conhecer a Palavra.
Muitas congregações, um seminário e um orfanato foram estabelecidos. Com o passar do tempo, Charles Spurgeon se tornou uma celebridade mundial. Recebia convites para pregar em outras cidades da Inglaterra, bem como em outros países como França, Escócia, Irlanda, País de Gales e Holanda. Spurgeon levava as Boas Novas não só para as reuniões ao ar livre, mas também aos maiores edifícios de 8 a 12 vezes por semana.
Segundo uma de suas biografias, o maior auditório em que pregou continha, exatamente, 23.654 pessoas: este imenso público lotou o Crystal Palace, de Londres, no dia 7 de outubro de 1857, para ouvi-lo pregar por mais de duas horas.
Sucesso - Mais de cem anos depois de sua morte, muitos teólogos ainda tentam descobrir como Spurgeon obtinha tamanho sucesso. Uns o atribuem às suas ilustrações notáveis, a habilidade que possuía para surpreender a platéia e à forma com que encarava o sofrimento das pessoas. Entretanto, para o famoso teólogo americano Ernest W. Toucinho, autor de uma biografia sobre Spurgeon, os fatores que atraíam as multidões eram estritamente espirituais: O poder do Espírito Santo, a pregação da doutrina sã, uma experiência de religioso de primeira-mão, paixão pelas almas, devoção para a Bíblia e oração a Cristo, muita oração. Além disso, vale lembrar que todas as biografias, mesmo as mais conservadoras, narram as curas milagrosas feitas por Jesus nos cultos dirigidos pelo pregador inglês.
As pessoas que ouviam Spurgeon, naquela época, faziam considerações sobre ele que deixariam qualquer evangélico orgulhoso. O jornal The Times publicou, certa ocasião, a respeito do pastor inglês: Ele pôs velha verdade em vestido novo. Já o Daily Telegraph declarou que os segredos de Spurgeon eram o zelo, a seriedade e a coragem. Para o Daily Chronicle, Charles Spurgeon era indiferente à popularidade; um gênio, por comandar com maestria, uma audiência. O Pictorial World registrou o amor de Spurgeon pelas pessoas.
Importância - O amor de Spurgeon tinha raízes. Casou-se em 20 de setembro de 1856 com Susannah Thompson e teve dois filhos, os gêmeos não-idênticos Thomas e Charles. Fazíamos cultos domésticos sempre; quer hospedados em um rancho nas serras, quer em um suntuoso quarto de hotel na cidade. E a bendita presença do Espírito Santo, que muitos crentes dizem ser impossível alcançar, era para nós a atmosfera natural. Vivíamos e respirávamos nEle, relatou, certa vez, Susannah.

A importância de Charles Haddon Spurgeon como pregador só encontra parâmetros em seus trabalhos impressos. Spurgeon escreveu 135 livros durante 27 anos (1865-1892) e editou uma revista mensal denominada A Espada e a Espátula. Seus vários comentários bíblicos ainda são muito lidos, dentre eles: O Tesouro de Davi (sobre o livro de Salmos), Manhã e Noite (devocional) e Mateus - O Evangelho do Reino. Até o último dia de pastorado, Spurgeon batizou 14.692 pessoas. Na ocasião em que ele morreu - 11 de fevereiro de 1892 -, seis mil pessoas leram diante de seu caixão o texto de Isaías 45.22a: Olhai para mim e sereis salvos, vós todos os termos da terra.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Cinco Solas: O livre-arbítrio é bíblico?

Cinco Solas: O livre-arbítrio é bíblico?: Num dos grupos que participo, alguém postou parte de um artigo do Pr. Ciro Sanches Zibordi em defesa do livre-arbítrio. O que segue é meu ...

Cinco Solas: Como os calvinistas explicam Hebreus 6:4-6?

Cinco Solas: Como os calvinistas explicam Hebreus 6:4-6?: “É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, e...